HomebulletDepoimento de Sabrina Doro Gonzales sobre o tratamento endovascular da trombose venosa profunda

Depoimento de Sabrina Doro Gonzales sobre o tratamento endovascular da trombose venosa profunda

Não obtive resultado com o tratamento convencional. Graças à técnica endovascular, tudo voltou ao normal, sem dores e com mais qualidade de vida.


Tive um parto cesárea em 19/06/13 e 15 dias depois minha perna esquerda estava muito inchada, vermelha, tinha petéquias (pontinhos vermelhos) por todos os lados nela e sentia muitas dores. Procurei o hospital e fui diagnosticada com trombose venosa, onde fiquei 8 dias internada e depois desse período fui orientada pelo médico a dar continuidade ao tratamento convencional em casa com o uso de anticoagulantes e meia de compressão.

Tudo isso impactou muito minha saúde e qualidade de vida, porque passei 4 meses de repouso, pois não conseguia vestir a meia de compressão, porque minha perna estava muito inchada. Para poder ficar de pé, dependia da ajuda da família pra tudo, não podia cuidar nem do meu filho sozinha, não conseguia colocar sapatos fechados, era completamente restrita ao leito e dependente. O meu retorno venoso não era mais o mesmo e com isso estava ganhando varizes, além das dores. Não obtive resultado algum com o tratamento hospitalar.

Passei pelo procedimento endovascular com o Dr. Francisco Osse, seis meses após a ocorrência da trombose, no dia 22/01/14.

Fiquei somente três dias internada até receber alta. A recuperação foi bem rápida, sem dor e incrivelmente perfeita no meu caso. Depois da cirurgia, minha vida voltou ao normal e nem parecia que havia tido uma trombose, porque antes de passar por esse moderno procedimento tinha uma diferença de 11cm de uma perna para outra. Se não o tivesse feito, com o decorrer do tempo, minhas varizes poderiam se tornar maiores, causando mais dores e também poderiam aparecer feridas futuramente provenientes da trombose.

Hoje, tenho uma vida normal, uso saias, sapatos de salto, faço todas as atividades domésticas, cuido do meu filho, dirijo, e até fui liberada do uso das meias (o que é ótimo) aí fica tudo mais fácil, pois elas são muito incômodas. Minha única restrição médica é com relação a atividades de impacto. De resto vida normal, graças a Deus e a técnica.

 

Sabrina Doro Gonzales, 36 anos
(11) 99354-2388
sabrina.doro77@gmail.com

Sabrina Doro Gonzales, 36 anos
São Paulo - SP
(11) 99354-2388
sabrina.doro77@gmail.com

< Voltar